sábado, Abril 19, 2014

O REGRESSO DO FUNCHAL

O REGRESSO DO PAQUETE FUNCHAL

Por Luís Miguel Correia 

(Artigo publicado na revista CRUZEIROS, edição nº 11)


A grande sensação nos meios marítimos e de cruzeiros portugueses em 2013 foi o regresso espectacular do paquete FUNCHAL à actividade de cruzeiros, por iniciativa da nova empresa Portuscale Cruises.
O dia 1 de Agosto de 2013 acrescentou mais uma data importante na já longa história do FUNCHAL, com a inauguração oficial do navio pelo primeiro ministro Passos Coelho.
A cerimónia decorreu a bordo do FUNCHAL na doca seca, no estaleiro da Rocha, e contou com a presença do armador Rui Alegre, e de muitos convidados da Portuscale Cruises.
Foi o virar de página do período mais difícil da história do FUNCHAL até hoje. Após conclusão do programa de cruzeiros de 2010, o navio fora imobilizado em Lisboa pela empresa Classic International Cruises em Setembro desse ano, com o futuro pendente devido à necessidade de reconstrução segundo as novas regras da convenção SOLAS, implementadas em Outubro de 2010. O armador anterior, considerou que, apesar da idade, – o FUNCHAL estava com 49 anos – um conjunto de características únicas, nomeadamente o baixo consumo de combustível e economia de operação, a dimensão familiar e a notoriedade junto de uma clientela diversificada, justificavam um investimentos de cerca de 10 milhões de euros na renovação e prolongamento da vida útil do FUNCHAL.
Este projecto chegou a arrancar mas foi interrompido em Julho de 2011 por constrangimentos financeiros, e o navio foi-se degradando, acabando a companhia por falir no final de 2012, quando o FUNCHAL ficou abandonado na ponte-cais da Matinha, sem tripulação. Quando tudo indicava que o destino próximo do FUNCHAL seria a venda para sucata, a boa estrela que sempre havia protegido o nosso último paquete tradicional proporcionou novas perspectivas.
Em Janeiro deste ano o FUNCHAL foi comprado por uma nova empresa criada por Rui Alegre e de imediato recomeçaram os trabalhos de modernização, recuperando-se o que entretanto se havia degradado desnecessariamente e introduzindo novos padrões de qualidade ainda mais exigentes comparativamente ao projecto original. O processo de recuperação do FUNCHAL entrou logo em ritmo crescente: o navio voltou a ter tripulação, os cabos de amarração foram de imediato substituídos, pois os que se encontravam a bordo estavam totalmente degradados, recomeçou a ver-se pessoal a trabalhar em reparações. Em paralelo foi criada de raiz uma empresa operadora, a Portuscale Cruises, e deram-se os primeiros passos na área comercial.
O renascimento do FUNCHAL foi entretanto anunciado por todo o País, em cartazes “outdoors”, publicitando a “Grande Viagem Inaugural”, a sair de Lisboa em Agosto: uma primeira série de cruzeiros à Escandinávia e Europa do Norte, recuperando a ligação antiga do FUNCHAL ao mercado de cruzeiros sueco, com uma série de viagens a decorrer de 6 de Agosto a 20 de Setembro, seguindo-se um cruzeiro aos Açores, de 20 a 29 de Setembro a partir de Lisboa, e um cruzeiro pelo Mediterrâneo, com passageiros franceses, em Outubro.
Ponto alto neste percurso rápido de regresso do FUNCHAL ao activo foi a transferência do paquete do cais da Matinha para a Rocha do Conde de Óbidos, a 3 de Junho, embandeirado em arco a adivinhar já as metamorfoses por que iria passar na reparação mais importante a que foi submetido desde 1973, quando mudou as máquinas. Centenas de operários e técnicos tomaram conta do FUNCHAL: renovou-se o casco e as principais estruturas do navio, com muitas toneladas de aço substituídas, o casco e grande parte das superstruturas foram decapadas, reconstruiram-se os interiores – espaços públicos e camarotes, actualizaram-se os equipamentos de navegação, reconstruíu-se a ponte de comando, instalou-se um propulsor de proa, renovaram-se, as máquinas e geradores, a instalação de ar condicionado, a cozinha, os encanamentos, todos os sistemas e equipamentos de segurança, ampliaram-se os tombadilhos, solários e bares exteriores, fez-se uma piscina nova, enfim o FUNCHAL foi renovado da proa à popa.
À medida que avançaram as reparações, foi aumentando o volume das intervenções a efectuar, o que acabou por se traduzir em mais tempo de estaleiro e na necessidade de reprogramar a introdução do navio, com o cancelamento dos primeiros três cruzeiros previstos para o período de 6 de Agosto a 2 de Setembro.
Acompanhei de perto toda a reabilitação do FUNCHAL e não é fácil descrever o ritmo com que se sucederam as mudanças: a chaminé foi pintada de amarelo a 10 de Julho, a 12 pintou-se o casco de azul escuro, quase preto, e o FUNCHAL foi retomando toda a dignidade de outros tempos, com novas cores inspiradas nas da antiga Empresa Insulana.
Na festa de inauguração a 1 de Agosto foi içada a bandeira nacional à popa e o cónego Nuno Isidro deu a bênção ao paquete, após o que discursaram o armador e o primeiro ministro. Passos Coelho realçou a importância da recuperação do FUNCHAL, à luz das perspectivas de desenvolvimento da economia do mar e do turismo, elogiando a capacidade empreendedora de Rui Alegre e destacando a recuperação do FUNCHAL como exemplo das acções necessárias para se devolver a esperança a Portugal. Seguiu-se a actuação dos artistas Carlos Guilherme, Carlos do Carmo e Inês Santos, e a “festa do FUNCHAL” teve ainda fogo de artifício. No final os convidados foram presenteados com o livro “Paquete Funchal Ser do Mar”, publicado expressamente pela Portuscale em homenagem ao FUNCHAL.
Entrando na contagem final para o regresso do FUNCHAL ao mar, o navio deixou o estaleiro da Navalrocha na manhã de 13 de Agosto após ter permanecido 72 dias na doca seca nº 1, e foi atracar à Ponta da Rocha do Conde de Óbidos, onde prosseguiram os trabalhos finais e se procedeu ao abastecimento. A 15 de Agosto de tarde o FUNCHAL largou finalmente para provas de mar e saiu a barra do Tejo, fazendo uma série de experiências ao largo do cabo Espichel, para regressar ao cais da Rocha ao anoitecer. Na noite de 20 de Agosto o FUNCHAL largou do cais e foi fundear no Mar da Palha onde prosseguiram os preparativos finais para a viagem até Gotemburgo, que teve início ao amanhecer de 22 de Agosto.
O FUNCHAL chegou a Gotemburgo na tarde de 26 de Agosto, sem que tivesse sido possível solucionar os últimos problemas técnicos ainda em aberto, o que obrigou o paquete a permanecer atracado até 2 de Setembro, quando as inspecções técnicas e a sociedade classificadora deram o navio como pronto e foram passados os certificados respectivos. Foi com um enorme esforço da tripulação que se ultrapassaram dificuldades técnicas de última hora, naturais após uma intervenção tão profunda como aquela a que o FUNCHAL foi submetido, mas que se traduziram em notícias especulativas por parte da imprensa, em Portugal e na Suécia.
Tudo acabou por ser ultrapassado e a 2 de Setembro de 2013 o FUNCHAL reentrou ao serviço com o primeiro cruzeiro da companhia Portuscale, uma viagem de 8 dias à Escócia, a que se seguiu, de 9 a 20 de Setembro, o cruzeiro Rota dos Vinhos, com saída de Gotemburgo e final em Lisboa. Na tarde de 20 de Setembro o FUNCHAL largou para os Açores, numa espécie de cruzeiro nostálgico, tendo sido recebido com muito entusiasmo pelos Açorianos.
De regresso a Lisboa a 29 de Setembro, o FUNCHAL saiu na manhã seguinte para o Mediterrâneo, com escala técnica em Gibraltar, para abastecimento de combustível, e efectuou de 4 a 16 de Outubro, um cruzeiro com largada de Nice, escalas em Civitavecchia, Kusadasi, Dikili, Kavala, Pireu, Nauplia, La Valetta, transito pelos canais de Messina e Corinto e desembarque no Mónaco, de onde o navio regressou a Lisboa, com novo abastecimento de combustível em Gibraltar e entrada em Lisboa na manhã de 21 de Outubro, quando atracou em Santa Apolónia, onde permanece, estando a decorrer a bordo diversas reparações e melhoramentos.
Entretanto o próximo cruzeiro do FUNCHAL tem um significado muito especial: o navio sai de Lisboa a 29 de Dezembro rumo ao Funchal para a famosa passagem de ano, de 31 de Dezembro a 1 de Janeiro. O FUNCHAL regressa assim à Madeira na altura mais nobre possível, reatando a tradição da realização de cruzeiros de Lisboa ao Funchal com paquetes portugueses, que nas décadas de 1960 e 1970 se chegaram a realizar com três navios em simultâneo com 1600 passageiros a bordo.
Será a décima segunda vez que o FUNCHAL passa o fim de ano na baía que lhe deu o nome, a primeira das quais em 1961-62 e a mais recente na passagem de 1974 para 75. O cruzeiro de fim de ano terá a duração de uma semana, visitando ainda Safi, em Marrocos, porto que dá acesso a Marrakech, antes de regressar a Lisboa a 5 de Janeiro de 2014.
Com a próxima ida à Madeira, o FUNCHAL regressa às suas origens, pois foi construído principalmente para servir esta ilha e apoiar o seu desenvolvimento turístico. Em muitos aspectos o FUNCHAL é agora um paquete novo. Se exteriormente parece ter retomado as cores da fase inicial da Empresa Insulana, por dentro a perspectiva é outra. Os espaços públicos e os camarotes foram totalmente renovados, apresentando agora uma decoração mais contemporânea, ainda que respeitando os espaços e estilo clássico originais do navio. A escolha de cores e materiais utilizados dão a impressão de maior espaço interior, a substituição das madeiras decorativas originais, obrigatória por via da nova convenção SOLAS desde 2010 por materiais incombustiveis a imitar madeira funcionou bem, e no seu conjunto os novos interiores mostram agora um navio ainda mais acolhedor e confortável.
Mantiveram-se os salões principais Gama e Ilha Verde, bem como o bar Porto, mas criaram-se novos espaços como o Havana Cigar Club, a biblioteca e sala de jogos, casino e sala de crianças, ou o espaço comercial, muito melhorado e ampliado. Os decks e as áreas exteriores acessíveis aos passageiros foram também melhoradas de forma inteligente, com destaque para a piscina e bar respectivo e para o pavimento superior, junto à chaminé. Todas estas transformações fazem do FUNCHAL um navio de sonho de onde não apetece nunca desembarcar, sendo tudo isto complementado com a mesma tripulação excelente de sempre.
Por tudo isto, o regresso do FUNCHAL é a melhor surpresa de 2013 para quem gosta de viajar no mar. O navio está lindíssimo.Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia

terça-feira, Abril 15, 2014

FUNCHAL a sair de Lisboa para os Açores


Paquete FUNCHAL fotografado a sair de Lisboa no Cruzeiro do Senhor Santo Cristo, aos Açores, em 1982. Na época o FUNCHAL era propriedade da CTM - Companhia Portuguesa de Transportes Marítimos e operava fretado à Agência Abreu diversos meses do ano, o que aconteceu até 1985. Fiz esta fotografia de bordo de um rebocador após manobra de desatracação do FUNCHAL. Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia

quinta-feira, Abril 03, 2014

Escudo da Cidade do Funchal


A renovação do Paquete FUNCHAL efectuada em 2011-2013 permitiu melhoramentos importantes ao nível da decoração dos espaços públicos interiores, que passaram a contar com diversos paíneis de azulejos da fábrica Viúva Lamego. Um desses paineis destaca a ligação do Paquete à cidade que lhe deu o nome, apresentando o escudo com as armas da cidade e um arranjo com esterlícias, de que apresentamos um pormenor. Os paineis de azulejos têm sido muito apreciados, em especial por passageiros estrangeiros. Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia

quinta-feira, Março 20, 2014

Entardecer tranquilo

Entardecer tranquilo no cais de Santa Apolónia Montante, actual cais da Portuscale Cruises, com o FUNCHAL atracado ao anoitecer de 12 de Março de 2014: um entardecer tranquilo no Tejo, esse rio que tem servido de porto de armamento ao FUNCHAL desde 1961... Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia

Livros do Cte. Saturnino Monteiro para o FUNCHAL

Paquete FUNCHAL recebeu no dia 17 de Março de 2014 uma homenagem muito especial: a oferta de uma colecção de livros da série Grandes Batalhas Navais dos Portugueses, por parte do seu Autor, Comandante Saturnino Monteiro, que se fez representar no acto de entrega, a bordo do FUNCHAL, por Carlos Pitta, grande amigo deste paquete e entusiasta de cruzeiros desde longa data. Carlos Pitta foi recebido a bordo pelo Comandante do FUNCHAL, António Morais, que vemos na imagem para a fotografia oficial.
O regresso ao serviço do Paquete FUNCHAL após resgate e reconstrução o ano passado, tem merecido o carinho de muitos sectores ligados aos navios e ao mar. O navio foi totalmente reconstruído e dispõe agora de uma belíssima biblioteca, muito utilizada pelos passageiros durante os cruzeiros. Os livros do Senhor Comandante Saturnino Monteiro vão tornar ainda mais agradável a biblioteca do FUNCHAL, que inicia a 28 de Março a série de cruzeiros programados para 2014. Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia

sexta-feira, Março 14, 2014

FUNCHAL em Lisboa - 13 de Março de 2014


Aspectos do paquete FUNCHAL atracado ontem, 13 de Março, no cais da Portuscale (Santa Apolónia - Montante). 

O navio está a preparar-se para a nova época de cruzeiros a decorrera partir de 28 de Março.
A bordo decorrem pequenos trabalhos de pintura e manutenção, que a bordo de um navio há que estar sempre a pintar e conservar...
Uma das grandes mais valias do paquete FUNCHAL, reconhecida internacionalmente, é a qualidade e simpatia da tripulação.
Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia

domingo, Março 09, 2014

FUNCHAL em Las Palmas

Em 1984 fiz dois cruzeiros a bordo do paquete FUNCHAL, então propriedade da CTM - Companhia Portuguesa de Transportes Marítimos, um dos quais à Madeira e Canárias, tendo subido ao mastro principal do navio em Las Palmas, quando efectuei esta fotografia. Repare-se que na imagem se pode ver bem o solário da antiga Primeira Classe, cuja secção de vante deu lugar em 1973 ao Bar Tasco, entretanto desmanchado mais tarde quando este espaço foi fechado dando lugar a camarotes para os oficiais.
As cores garridas da chaminé do FUNCHAL nos tempos da CTM (1974 a 1985) não eram propriamente bonitas mas toda a gente reparava no FUNCHAL onde quer que este navio fizesse escala. Depois, como a parte superior da chaminé era vermelha, só apresentava esta cor quando era acabada de pintar, dias depois começava a ficar preta devido ao fumo... Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia

FUNCHAL obra prima de arquitectura naval


Dois aspectos importantíssimos têm contribuído para a vida longa do FUNCHAL e o seu sucesso inquestionável durante mais de cinco décadas: o paquete FUNCHAL é uma verdadeira obra prima de arquitectura naval, tendo-se conjugado no seu projecto o melhor da arte de bem fazer navios de Portugal e da Dinamarca. 

Dois nomes a destacar na origem de tanta beleza e funcionalidade são os do Arquitecto Naval, o engenheiro naval português Almirante Rogério de Oliveira e do armador original, o Sr. Vasco Bensaude, uma dupla perfeccionista cujos melhores esforços resultaram no FUNCHAL.
E não falo apenas das linhas clássicas e muito belas do FUNCHAL, mas das suas características técnicas, nomeadamente a forma do casco, deu ma grande perfeição e funcionalidade que permite consumos de combustível muito reduzidos, o FUNCHAL consome menos de metade do combustível de que necessita o LISBOA ou o AZORES para navegar.

Ao longo de todos estes anos o FUNCHAL tem sido também um navio com muita sorte, sobrevivendo à mudança dos tempos quando outros - muitos - navios não lograram encontrar utilização alternativa.
O FUNCHAL sempre fascinou muitos dos que nele viajaram ou de alguma forma estiveram ligados à sua operação, não se podendo esquecer o papel decisivo do armador Georgios Petros Potamianos (1 de Setembro de 1941 - 27 de Maio de 2012)que trocou a sua Grécia por Portugal e viveu muito dos seus últimos 37 anos de vida em função do FUNCHAL.
Sempre tive o receio de o FUNCHAL não sobreviver ao desaparecimento de Georgios Potamianos, mas até este desafio de equação quase impossível o FUNCHAL venceu ao encantar um novo armador - Rui Alegre - que tem feito tudo o que tem estado ao seu alcance para proporcionar a renovação e recuperação da dignidade do nosso paquete FUNCHAL. 
O FUNCHAL tem estado imobilizado em Lisboa desde 6 de Janeiro, aproveitando esta paragem técnica efectuaram-se mais alguns melhoramentos e renovações no navio, nomeadamente ao nível da instalação de ar condicionado. Entretanto o FUNCHAL regressa aos cruzeiros já a 22 de Março.
Fotografias de pormenores do paquete FUNCHAL registadas por Luís Miguel Correia em Lisboa a 2 de Março de 2014.
Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia 

 

sábado, Fevereiro 15, 2014

FUNCHAL - capa da REVISTA DE MARINHA

Ao longo dos anos, nunca perdi uma oportunidade de divulgar o FUNCHAL e estudar a sua história e actividades.
O navio fez 20 anos em 1981 e tive então oportunidade de ver publicada uma primeira capa do paquete FUNCHAL feita por mim na Revista de Marinha, onde estava a colaborar desde 1980.
Não foi talvez a minha melhor capa do FUNCHAL, as cores do navio, em especial a chaminé, não ajudavam e o dia em que registei a imagem estava cinzento, mas foi a primeira, complementada com um texto de divulgação inserido na página de abertura da RM.
Quando completou 20 anos o FUNCHAL já não era considerado propriamente um navio novo, estava com a idade em que se enviara para a sucata o VERA CRUZ, e a situação da CTM e da generalidade da Marinha Mercante em Portugal não era a melhor. Quatro anos mais tarde, a companhia seria liquidada e a frota toda vendida em leilão, inaugurando-se a sangria com a venda do FUNCHAL a uma empresa do Panamá, em Agosto de 1985. Tudo isto com uma mãozinha inspiradoura do FMI, então por cá a ajudar a velha Pátria de Marinheiros a redescobrir os seus rumos.
Não foi o fim do navio, que deu origem à Classic International Cruises, navegando até Setembro de 2010, para ser depois renovado e restaurado pela Portuscale em 2013.
Quem diria em 1981, quando fiz esta capa que o FUNCHAL era de facto nessa época um navio quase novo?
Quem quiser ler o texto pode ampliar a imagem para melhor leitura,fazendo pressão sobre a mesma.
Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia

sábado, Fevereiro 08, 2014

FUNCHAL no Funchal


O paquete FUNCHAL começou o ano de 2014 da melhor maneira possível, atracado ao molhe da Pontinha, no porto do Funchal, onde o navio voltou pela primeira vez depois de ser modernizado pela Portuscale, após mais de três anos de ausência em águas madeirenses.


O FUNCHAL marcou presença nos festejos da passagem de ano na baía do Funchal, onde fundeou ao amanhecer de 31 de Dezembro de 2013, na 768ª escala desde que pela primeira vez chegou à Madeira a 5 de Novembro de 1961.


O navio passou o dia 31 ao largo, fazendo-se o transbordo dos passageiros para terra utilizando as lanchas do FUNCHAL. Fundeados na proximidade do FUNCHAL estavam os paquetes THE WORLD e BRAEMAR, tendo-se juntado ao grupo, pelas 15H00 o SAGA RUBY, que fundeou a oeste do FUNCHAL.


Após assistir-se ao fogo de artifício, o FUNCHAL suspendeu e atracou ao molhe pela 01H30, permanecendo no porto até largar para Safi à meia-noite de 1 de Janeiro de 2014.

Integrado num conjunto variado de 12 navios de cruzeiros, incluindo alguns dos maiores da actualidade, o FUNCHAL impôs-se pelas suas linhas extremamente elegantes e equilibradas em contraste com a estética mais moderna, ou melhor dizendo, falta de estética dos navios de cruzeiros da última geração, em que o que interessa é a maximização de espaços e potencial de geração de receitas...

Enfim foi bom ver o FUNCHAL de novo integrado na festa da passagem de ano na baía do Funchal, o que já não acontecia desde o fim de ano de 1974 para 1975, quando partilhou o cais da Pontinha com o paquete INFANTE DOM HENRIQUE e diversas unidades estrangeiras, com destaque para o QUEEN ELIZABETH 2.

Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia 

sábado, Janeiro 25, 2014

FUNCHAL em Santa Cruz de Tenerife


Fiz esta fotografia do FUNCHAL em Maio de 1984 durante um cruzeiro à Madeira e Canárias, com partida de Lisboa e escalas no Funchal, Tenerife, Las Palmas e Lanzarote. Tratou-se de um cruzeiro organizado e operado em regime de afretamento pela Agência Abreu, já na fase final da CTM - Companhia Portuguesa de Transportes Marítimos (1974-1985). Antes de sair de Lisboa o FUNCHAL recebeu uma pintura geral efectuada pelo pessoal oficinal da CTM com o navio atracado dentro da Doca de Alcântara. A chaminé com as cores da CTM, tão ao estilo da década de 1970, não proporcionava exactamente a imagem mais elegante ao navio, mas marcou uma época em que o FUNCHAL foi o último navio de passageiros português em actividade, registado em Lisboa (registo convencional português). Os tempos eram outros, o FUNCHAL tinha ainda tripulação exclusivamente portuguesa e era propriedade de uma empresa estatal, a CTM, que havia sido nacionalizada em 1975. Os tempos e as cores eram outras, mas o navio apresentava a elegância de sempre. Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia

sexta-feira, Janeiro 24, 2014

FUNCHAL no Funchal a 28 de Julho de 1963


Esta fotografia do FUNCHAL, atracado ao molhe da Pontinha, no Funchal, tem mais de 50 anos: foi tirada por Uli Wessmann, um amigo meu sul africano que fez escala no porto do Funchal a 28 de Julho de 1963, a bordo do paquete PRETORIA CASTLE, em viagem de Inglaterra para o Cabo. Fez a fotografia de bordo da lancha que o transportou de bordo do paquete inglês, que estava fundeado, para uma curta visita a terra. Na foto pode ver-se ainda, pela popa do FUNCHAL, o paquete italiano FRANCA C, em viagem de cruzeiro à Madeira.
O FUNCHAL era então um navio novo, cheio de vida e muito irrequieto, isto é, rápido, como conta o jornalista Maurício de Oliveira, numa crónica publicada em 1964 após viajar no paquete mágico da Insulana de Lisboa à Madeira e Tenerife num cruzeiro de fim de semana prolongado: "Vinte e cinco horas exactas de navegação desde a barra do Tejo e estávamos a dobrar a ponta do Garajau, saudados pelas gaivotas da Madeira em revoadas de brancos e serenos pairadores. O FUNCHAL entrou na baía com o à-vontade de quem entra numa casa que lhe é familiar e atracou em manobra rápida e perfeita."
Um pormenor característico desta primeira fase da história do FUNCHAL pode ser associado ao fumo espesso a sair da chaminé, típico de um navio movido por turbinas a vapor...  Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia

quarta-feira, Janeiro 22, 2014

Para quem goste de fotografia...


Para quem goste de fotografia, uma viagem a bordo do Paquete FUNCHAL é uma fonte inesgotável de temas, desde as imagens mais convencionais, aos pormenores, caso desta fotografia do costado do navio, com os rebites desenhados na chapa e o preto e branco a ganhar tons de ouro. Imagem registada em Safi a 3 de Janeiro de 2014. Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia

Nome: FUNCHAL...


FUNCHAL: um nome com grande tradição na marinha mercante portuguesa, sinónimo de sorte e longevidade associada aos navios que assim se chamaram. 
Primeiro, de 1884 a 1927, o vapor FUNCHAL, que além da carreira das Ilhas chegou a fazer viagens a Nova Iorque, serviço que a Insulana abandonou em 1910 devido à forte concorrência das grandes companhias estrangeiras, nomeadamente a White Star Line.
Actualmente, o FUNCHAL de 1961, que era a coqueluche da frota nacional na década de sessenta e hoje continua a testemunhar as mais belas tradições da navegação de passageiros portuguesa, recentemente renovado e modernizado.
Fotografia do sino do Paquete FUNCHAL actual, numa imagem de pormenor registada a bordo, durante a última escala em Safi.
Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia

quinta-feira, Janeiro 16, 2014

Paquete FUNCHAL: um Fim de Ano inesquecivel


O recém-renascido Paquete FUNCHAL largou de Lisboa cheio de passageiros ao fim do dia, a 29 de Dezembro de 2013, num cruzeiro magnífico de Fim de Ano à Madeira e Marrocos. 
Foi o retomar de uma tradição antiga: até meados da década de 1970, os paquetes portugueses marcaram presença festiva nas comemorações da noite de Fim de Ano na baía do Funchal, e o paquete FUNCHAL era então o mais assíduo, com 11 cruzeiros de Dezembro de 1961 a Janeiro de 1975. Depois a actividade do navio centrou-se mais nos cruzeiros internacionais e não se voltou a posicionar o FUNCHAL na Madeira no final de Dezembro. 
O Paquete FUNCHAL correu mundo, os anos foram passando e o fim pareceu desenhar-se em 2012 com o navio imobilizado em Lisboa desde 2010. Mas a sorte que sempre tem acompanhado o nosso belo FUNCHAL voltou a manifestar a sua determinação e o paquete foi adquirido pela nova empresa PORTUSCALE CRUISES, de Lisboa, em Janeiro de 2013, reconstruido e posto de novo a navegar no final de Agosto, com um programa variado de cruzeiros inaugurais no Norte da Europa, Mediterrâneo, Açores e Madeira, terminando esta série de cruzeiros com o regresso do navio à ilha que na década de 1950 motivou a sua construção: a Madeira. 
O embarque a 29 de Dezembro foi marcado pela alegria do regresso a um navio em que tenho viajado desde 1963. Com as numerosas alterações efectuadas nos últimos anos, com destaque para a reconstrução terminada em Agosto, o FUNCHAL conseguiu o milagre de se manter jovem e actualizado. Para além da actualização técnica por forma a ultrapassar as limitações e o desgaste de cinco décadas a navegar e das novas premissas legais, os espaços públicos – salões, camarotes e tombadilhos exteriores – foram totalmente renovados, tendo-se conseguido manter o aspecto e espírito tão especiais do FUNCHAL. O dia 30 de Dezembro, passado a navegar a 15 nós, com alguma ondulação lateral que foi diminuindo de intensidade sempre, permitiu matar saudades e voltar a sentir o FUNCHAL no seu elemento natural: em navegação com passageiros e uma tripulação competente e dedicada. A uma travessia muito agradável, seguiu-se a entrada deslumbrante na baía do Funchal, ao amanhecer de 31 de Dezembro, em procissão com mais três navios de cruzeiros, o AURORA, o BALMORAL e o MARCO POLO, nenhum tão bonito quanto o FUNCHAL. 
Não há forma mais natural de chegar a uma ilha do que por mar e vista dos "decks" do FUNCHAL, a Madeira deslumbra todos. A última manhã do ano de 2013 não podia ter começado melhor na baía do Funchal: um céu azul primaveril, mar quase estanhado, a cidade e as serras iluminadas pelo sol atlântico, tudo a brilhar de alegria e encanto. O nosso FUNCHAL fundeou, uma vez que todos os cais do porto estavam ocupados por alguns dos 13 navios de passageiros que este fim de ano assistiram ao fogo de São Silvestre. 
A estadia de 40 horas no porto do Funchal teve o seu ponto alto à meia noite de 31, com oito minutos de fogo de artifício deslumbrante em ambiente de festa. Logo a seguir o FUNCHAL atracou ao molhe da Pontinha servindo de "hotel" aos passageiros que muito apreciaram a ilha. 
O dia 2 de Janeiro foi passado a navegar do Funchal para Safi, sendo o dia passado de forma descontraída, como sempre acontece no mar em dias de navegação. 
Safi, onde o FUNCHAL esteve atracado no dia 3 de Janeiro, é uma pequena cidade marroquina com ligação histórica a Portugal. Muitos dos passageiros aproveitaram para visitarem Marraqueche, usufruindo do seu ambiente exótico inigualável. 
Entretanto a norte, o oceano Atlântico revoltava-se por influência da tempestade Hércules e tudo indicava a possibilidade de no regresso a Lisboa o FUNCHAL poder ser embalado por ondas superiores a 8 metros. Para evitar os incómodos associados ao mau tempo, o comandante do FUNCHAL, Capitão Filipe Sousa e o armador, Dr. Rui Alegre, decidiram alterar a rota do navio de forma a desembarcar os passageiros em Portimão em vez de Lisboa. 
Infelizmente o porto de Portimão e as autoridades portuguesas não estiveram à altura deste desafio: avisado o porto com quatro dias de antecedência, as entidades responsáveis – IPTM (em liquidação) – não conseguiram posicionar um rebocador em tempo útil em Portimão e assim negaram a entrada do FUNCHAL quando este se aproximou da foz do Arade pelas 17h00 de 4 de Janeiro, com boas condições de tempo e a maré ideal para o navio fazer a manobra sozinho. O FUNCHAL acabou por navegar toda a noite ao largo da costa do Algarve e aguardar a chegada do rebocador GUARDIÃO, vindo de Setúbal. O rebocador chegou finalmente pelas 18h00 de 5 de Janeiro e o FUNCHAL deu então entrada no porto de Portimão, acabando por fazer a manobra sem passar cabo ao rebocador. 
As limitações físicas no porto de Portimão, nomeadamente a bacia de manobra, obrigam ao uso de rebocadores por navios com mais de 140 metros de comprimento e o FUNCHAL tem 154. Tudo acabou por correr bem, depois do desembarque os passageiros seguiram em autocarros disponibilizados pela Portuscale para Lisboa, Coimbra, Aveiro e Porto, mas entretanto a comunicação social tinha iniciado a divulgação de notícias alarmistas e totalmente irrealistas, colocando em causa o bom nome do Paquete FUNCHAL e da Companhia Portuscale, o que parece ser já um hábito, talvez mesmo uma campanha organizada infeliz contra o navio. 
De qualquer das formas o FUNCHAL provou estar melhor que nunca, com um ambiente animado, muito bom nível de actividades a bordo, alimentação excelente e ainda por cima um dia extra ao largo de Portimão. Não consigo imaginar forma melhor de entrar o ano de 2014 com o pé direito... 
Com as suas novas "antigas" cores clássicas a relembrar a forma original, o FUNCHAL continua a ser o navio ideal para cruzeiros. Que o sucesso se mantenha por muitos anos... Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia

domingo, Dezembro 29, 2013

FUNCHAL entrando em Lisboa a 27-12-2013

Imagens do Paquete FUNCHAL a entrar em Lisboa na tarde de 27 de Dezembro de 2013 no regresso das provas de mar, preparando-se para atracar à Gare Marítima da Rocha e embarcar os passageiros do cruzeiro de Fim de Ano a 29 de Dezembro...
Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia